segunda-feira, 13 de Abril de 2009

CRITÉRIOS DE CORRECÇÃO DA FICHA DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA – 7º ANO

CRITÉRIOS DE CORRECÇÃO DA FICHA DE AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA – 7º ANO
01/04/2009

1.
1.1.
A cidade de Roma situa-se na Península Itálica.

1.2.

Segundo a lenda, Roma foi fundada por dois irmãos gémeos: Rómulo e Remo.

1.3.
Segundo a tradição, Roma foi fundada no ano de 753 a.C..

1.4.
Em 212 d.C. , todos os homens livres do Império Romano passaram a ser cidadãos. O Imperador que tomou esta medida foi Caracala.

1.5.

Quando os romanos quiseram conquistar a Península Ibérica, houve um povo que lhes ofereceu resistência. Foram os Lusitanos.

1.6.
Na Península Ibérica, a Romanização deixou marcas profundas. Romanização significa a assimilação da língua, cultura e costumes dos Romanos pelas populações dominadas.

1.7.
A construção e manutenção de um vasto império pelos Romanos deveu-se à criação de um poderoso exército formado por soldados profissionais.

1.8. Os Romanos eram um povo guerreiro. As guerras contra os Cartagineses
ficaram conhecidas por Guerras Púnicas.


2.
2.1. Os dois motivos da expansão militar romana foram os seguintes:
- questões de segurança – os Romanos, nos primeiros tempos, tiveram de se defender dos ataques dos povos vizinhos; de seguida, submeteram os povos que constituíam uma ameaça, como se pode verificar no texto A: “Os Romanos (…) resolveram atacar o resto da Península, para evitar os contra-ataques dos povos ainda não subjugados”;
- motivações económicas e sociais – as conquistas proporcionavam muitas riquezas (saques, terras, escravos, matérias-primas) e mercados onde transaccionar produtos; criaram , também novos cargos e negócios ou busca de honra e glória – como se pode constatar no texto B: “foi um desejo insaciável de poder e de riqueza”.

3.
3.1. (ver mapa)
3.2.Europa, Ásia Menor e Norte de

África.

4.1.
- construção de obras públicas
- a divulgação do latim
- Direito
- o estabelecimento da administração pública
- a construção de uma vasta rede de estradas
- numeração romana

5.
5.1.
- Agricultura
- Indústrias
-Pecuária
- Comércio
- Extracção Mineira

5.2.
Os inúmeros recursos de que dispunha o Império Romano contribuíram para o seu enriquecimento. As cidades embelezaram-se com a construção de edifícios e de obras de arte. O comércio animava as cidades, favorecendo o desenvolvimento de uma economia urbana.
Todo o Império estava ligado por uma rede de estradas, percorridas por um intenso tráfico comercial. O estabelecimento de rotas comerciais terrestres, marítimas e fluviais entre Roma e todas a regiões do Império e o crescimento da actividade produtiva conduziram à formação de uma economia comercial.
A cunhagem de moeda acompanhou o desenvolvimento da economia comercial. De facto, a circulação monetária tornou-se comum nas trocas comerciais. A economia romana foi, assim, uma economia monetária.
O crescimento da produção foi possível graças à mão-de-obra escrava. Os escravos trabalhavam nas mais variadas actividades: na agricultura, nas minas, nas obras públicas, nas oficinas e nos carregamentos e transportes terrestres e marítimos. O desenvolvimento da economia romana baseava-se no esclavagismo.

6.

D – Não tinham quaisquer direitos.
F – Dedicava-se ao trabalho no campo.
B – Os seus membros tinham que possuir cavalo e uma
fortuna de 400 mil sestércios ou mais.
E – Dedicava-se ao artesanato e ao pequeno comércio.
C – Escravos que obtiveram a sua liberdade.
A – Os seus membros tinham que possuir uma fortuna
superior a um milhão de sestércios.

7.
7.1
Os imperadores tinham vastos poderes:
- Comando do exército;
- Direcção da política externa e das finanças;
- Controlo da administração pública;
- Chefia da religião;
- Direcção das províncias imperiais;
- Fiscalização da justiça;
- Legisladores supremos.

8.

8.1. O regime imperial foi implantado por Octávio César Augusto em 27 a.C..

9.
9.1.
A – Culto ao Imperador
B – Culto familiar ou doméstico
C – Culto público


10.
A – Coliseu: anfiteatro, com capacidade para mais de 50 000 espectadores, onde se desenrolavam lutas de gladiadores, de feras e outros espectáculos.
B – Termas: recinto para cuidar da higiene e, simultaneamente, de convívio/lazer.
C – Circo Máximo: local onde se faziam corridas de carros e cavalos.

11.
11.1. F As “domus” eram casas luxuosas, com jardins e banhos privativos.
11.2. V
11.3. V
11.4. F O principal centro das cidades romanas era o fórum, onde se centralizavam todas as actividades económicas, políticas e religiosas.
11.5. V

12.
12.1.
“O Cristianismo foi uma doutrina/religião revolucionária na Antiguidade ” porque Jesus Cristo defendia os seguintes princípios:
• Religião monoteísta (a crença num Deus único, de natureza espiritual);
• Mensagem de amor (a Deus, à Natureza e aos homens);
• Doutrina evangélica de paz, caridade, compaixão, bem, harmonia, fraternidade, justiça, tolerância e igualdade de todos os homens perante Deus (sem distinção entre ricos e pobres, governantes e governados, sábios e ignorantes, livres e escravos);
• A salvação pela Fé na vida eterna e na Ressurreição;
• Carácter ecuménico (universal) ou seja de salvação para todos os homens, com efeito a mensagem de Cristo dirigia-se a todos os povos e não apenas aos Judeus;
• Criticava o culto do Imperador e dos deuses pagãos (politeísmo);
• Condenava a exploração do trabalho escravo, as profundas desigualdades sociais no Império e os hábitos há muito enraizados, como os dos jogos.

13.
Virgílio: Poeta, autor da epopeia “Eneida”.
Tito Lívio: Historiador romano do século I a.C..
Vénus: Deusa do amor entre os Romanos.
Viriato: Chefe lusitano que se distinguiu na resistência movida contra os Romanos.
Pilatos: Procurador romano na Judeia, responsável pela prisão e crucificação de Jesus.
Jesus Cristo: Fundador da religião cristã.

14.
1. Cristo
2. Constantino
3. Teodósio
4. Bíblia
5. Catacumbas
6. Monoteísmo
7. Palestina
8. Apóstolos

Sem comentários:

Enviar um comentário